Fim da operação transfere o controle e as operações das companhias responsáveis pelos seguros auto e ramos elementares entre as duas seguradoras.

Sede da SulAmérica no Rio de Janeiro Divulgação/SulAmérica A SulAmérica divulgou fato relevante para informar a conclusão da venda das operações de seguro de automóveis e ramos elementares para a Allianz.

A transação foi anunciada em 23 de agosto do ano passado e recebeu a autorização da Susep no fim de junho. Com a conclusão, a Allianz passa a deter e operar as companhias responsáveis pelos seguros auto e ramos elementares, que até a data estavam funcionando ainda dentro do grupo SulAmérica. Segundo o documento, “em contrapartida à aquisição, foi pago pelo Grupo Allianz, também nesta data, o preço ajustado de R$ 3,18 bilhões, considerando o patrimônio líquido total das companhias vendidas estimado para o fim de junho de 2020 em R$ 881 milhões, sujeito, ainda, a determinados ajustes residuais previstos no contrato”.

Os recursos, conforme ressalta a SulAmérica, representará resultado não recorrente no lucro líquido da ordem de R$ 1,4 bilhão no terceiro trimestre.

O recebimento dos valores pagos pela Allianz vai adicionar de aproximadamente R$ 2,1 bilhões nas disponibilidades da companhia, após as liberações de capital regulatório e custos da transação de compra e venda.

A SulAmérica acrescentou ainda que os recursos serão destinados ao pagamento da aquisição da Paraná Clínicas, à execução do plano de recompra de ações de até 5% das units em circulação, ao pagamento, junto com os resultados apurados do exercício 2020, dos dividendos mínimos sobre o ganho de capital líquido não recorrente, ao pagamento da 7ª emissão de debêntures com vencimento em dezembro de 2020 e reforço do capital de giro da Companhia durante a pandemia e investimentos no plano estratégico, além de constituição de reserva para futuras aquisições nos segmentos de saúde e odonto. Conforme o fato relevante, os resultados das operações desinvestidas irão ainda constar das demonstrações financeiras da companhia referentes ao segundo trimestre de 2020, como resultados de operação descontinuada.