O município de Lagoa Seca, por ser vizinho a Campina Grande, segunda cidade da Paraíba com o maior número de casos da Covid-19, dobrou, em uma semana com pessoas diagnosticadas pela doença. Nas últimas 24 horas, 16 pessoas foram testadas como positivas, conforme boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde. O número de infectados já chega a 65, com 9 pessoas recuperadas e 5 óbitos. Os casos suspeitam já chegam a 128.

Nesta quarta-feira (26) veio a óbito a quinta vítima da Covid-19 no município. Trata-se de uma senhora de 65 anos, que residia no Distrito do Campinote. Ela faleceu em sua residência. No dia anterior, um morador da mesma comunidade, de 42 anos, também veio a óbito, vítima da Covid-19. Ele deu entrada no Hospital Municipal Ana Maria Coutinho Ramalho apresentando os sintomas do novo Coronavírus, quando foi testado positivo. Após o agravamento em seu estado de saúde, foi transferido para o Hospital Pedro I, em Campina Grande, quando veio a óbito na última terça-feira (26).

Ex-tesoureiro da Prefeitura de Lagoa Seca morre vítima de Covid-19 

O advogado campinense Marcos Agra Porto (73), morreu na manhã desta quarta-feira (27), vítima de falência múltipla de órgãos, motivada pela COVID-19. Agra era obeso, hipertenso e ex-fumante. No início da semana apresentou sinais de cansaço e com problemas respiratórios, foi levado para a UPA do Alto Branco, onde testou positivo para a Covid-19. Transferido para o Hospital D. Pedro I, seu quadro de saúde agravou-se, quando foi levado para a UTI, aonde veio a falecer.

Marcos Agra foi tesoureiro da Prefeitura de Lagoa Seca, na gestão do ex-prefeito Pedro Jácome, na década de 1970.  Como agropecuarista, atuava como criador de gado de leite e corte de na zona rural do município. Ex-delegado de polícia no estado de Rondônia, Marcos Agra Porto era filho do agropecuarista Vinícius Agra Porto, político influente no município de Lagoa Seca, onde possuía várias propriedades.

Novas medidas para conter o avanço da pandemia

Diante do avanço da pandemia, por decisão do prefeito Fábio Ramalho (PSDB), o Mercado Público do Pequeno Agricultor Familiar não funcionará neste sábado (30). A medida faz parte do último decreto do chefe do executivo, que antecipa feriados e ordena o fechamento de alguns serviços não essenciais por uma semana. O ato administrativo passa a vigorar a partir de 1º de junho e tem validade até a próxima sexta-feira (05).
 
Ainda pelo decreto, feriados nacional, estadual e municipal foram antecipados, como forma de ampliar o isolamento social e conter o avanço da doença. Os feriados de São João, São Pedro, Corpus Christi, fundação da Paraíba e padroeira do município foram antecipados já para a semana que se aproxima.

Para o cumprimento dessas medidas, a fiscalização será reforçada, com equipes da saúde, Polícia Militar e Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON), que percorrerão diversos locais do município, principalmente, na zona urbana.
 
Os comerciantes que não atenderem o que está previsto no novo decreto poderão sofrer multas e terem o cancelamento de alvará de funcionamento de seus estabelecimentos. Os valores das multas dependem do tamanho do negócio: comércio de pequeno porte (multa diária R$ 500), postos de gasolina e supermercados (multa diária de R$ 5 mil), farmácias e lojas de material de construção (multa diária de R$ 3 mil).

A recomendação das autoridades sanitárias e de saúde do município é que todos os moradores levem a sério a atual realidade, que é complicada no momento, sigam com o isolamento social e fiquem em suas casas, como formas essenciais de não serem contaminados com o novo Coronavírus. 
  
Da redação

Deixe seu Comentário